Pular para o conteúdo
18/11/2011 / projetoculturadepaz

Anais do Encibrac-inho

Neste espaço são apresentados os registros feitos pelas crianças das cinco escoloas municipais participantes do projeto “Um por todos e todos por um”, presentes no Encibrac-inho, realizado na Universidade Braz Cubas.

  • A ética e a cidadania

”Eu acho importante a ética e a cidadania, muitas pessoas tem preconceito e descriminam os negros, as pessoas deficientes, os idosos e etc. Eu acho isso uma falta de respeito muito grande por que poderia ser a gente sofrendo com o preconceito.Eu acho que ser deficiente é uma coisa normal afinal as pessoas com problemas são gentes também.”

Nome: Amanda Justiniano de Paula Conceição

Escola: E.M.Apparecida Ferreira Cursino

 

  •  O preconceito contra o  deficiente físico

“O deficiente leva muito  preconceito contra a falta de não andar  mas eles não estão  nem aí querem mais é se divertir.”

Nome: Gabriela Lopes Batista

Escola: E.M.Apparecida Ferreira Cursino

 

  • Deficiência  fisica

” Ter respeito sobre os deficientes fisicos é o nosso dever”

Nome: Alexandre Victor Aliduir de Oliveira

Escola: E.M Apparecida Ferreira Cursino

 

  • Respeitar

” Nosso dever é respeitar a todas as pessoas sem olhar a aparencia”

Nome: Kennedy Brian de Oliveira Santos

Escola: E.M Apparecida Ferreira Curcino

 

  • Familia    

” Nós devemos respeitar, amar e obedecer ao nossos pais, tios, avós e etc. ”

Nome: Mariana Domingues Martins Evelyn

Escola: E.M. Apparecida Ferreira Cursino

 

  • Viva as diferenças

” Basta olhar em sua volta. Eu aprendi a respeitar os deficientes e não jugá-los pelas  deficiências.”

Nome: Samuel Mendes de Souza

Escola: E.M Aparecida Cursino

 

  • Deficiência

” Eu aprendi que não é pra bater nas pessoas, nem nos meus pais e pra não xingar as pessoas e não pegar o estojo dos meus colegas.”

Nome: Vitor Rodrigues de Carvalho

Escola:  E.M Aparecida Cursino

 

  • Respeito

“Temos que ter respeito por todos,principalmente pelos mais velhos,pois sem respeito o nosso mundo não anda pra frente, é com amor e respeito que fazemos um mundo melhor.”

Nomes: Gabriel Pereira Silva e Sthefany  Paula Lima da Silva

Escola:  E.M Aparecida Cursino

 

  •    Minha vida com a comunidade

” Minha vida com a comunidade é muito importante para nós,porque temos que conviver  uns com os outros. ”

Nome: Bruna Cristina Koba dos Santos

Escola:  E.M Aparecida Cursino

 

  • Respeito

“ Temos que respeitar as pessoas ,porque se não respeitarmos elas podem se sentirem mal,magoadas,tristes,etc. E se essa pessoa fosse boa em matematica e você não e pedisse uma ajuda ela não iria te ajudar porque você a entristeceu.”

Nomes: Giovanna Souza Prado e Camilla de Oliveira Valentim

Escola: E.M Aparecida Cursino

 

  • Deficientes

” Tratar os deficientes com amor, carinho e respeito.Por que os deficientes precisam de muita ajuda e atenção da gente. Não é porque a gente não precisa de ajuda que o outro que é deficiente  não precisa de ajuda também, eles precisam de ajuda sim.Deficiente tem que ser ajudado também porque ele è gente.Eu sou contra o preconceito de deficiente.

Nome: Lohanna Severo Lúcio e Sidney Leonardo Goveia

Escola: E.M Aparecida Cursino

 

  • Preconceito com o idoso

” Preconceito  é  uma  coisa  que  não  deveria  acontecer porque   esse  preconceito  deixa  as  pessoas  exiladas   das  outras .Essa  pessoa  que  esta  sofrendo  o  preconceito  pode  até   se  matar para  tirar   essa  coisa  da  cabeça. Isso  que  eu  acho  do  preconceito .”

Nomes: Andrew Cardoso Luiz e  João Victor de Oliveira  

Escola:E.M Aparecida Cursino

  • Árvore genealógica

“Adoramos  saber um pouco mais sobre a nossas famílias, com o livrinho um por todos e todos por um pela ética e cidadania ,ficou muito facil sermos felizes!”.

Nomes: Bruna dos Santos Souza, Larissa Aparecida de Oliveira e Kathleen Cristina Rodrigues da Silva

Escola:E.M Aparecida Cursino

 

  • Amor a Pátria

“O  amor ao Brasil é igual ao amor a nossa própria vida”

Nomes: Michelly Regina da Silva e  Camila  Andressa   de  Carvalho Pedro

Escola:E.M Aparecida Cursino

 

  • Deficientes

“Eu aprendi que não devemos prejudicar os deficientes,mas sim respeitá-los ,e ajudá-los “

Nomes: Matheus da Rocha  Araujo, Fabio Ryuichi Ikemori e Gabriel Lucas da Silva.

Escola: E.M Aparecida Cursino

 

  • Respeito

‘’ Eu achei muito importante o respeito, porque devemos respeitar o próximo e ajudar cada um !! .

Nome: Alessandra Santos Armelim

Escola:E.M Aparecida Cursino

 

  •  Meio Ambiente

‘’ Devemos respeitar o meio ambiente para termos o planeta mais limpo e saudável para todos os seres vivos ‘’.

Nomes:  Dener Henrique Martins Moura e Diogo Natanael Ferreira do Prado

Escola:E.M Aparecida Cursino

 

  •  Inclusão e Autoestima

‘’Não estacionar em vagas de deficientes.Cuidar de sua aparência ‘’ .

Nomes:Estela Francis Pinto Barros e Gustavo Barbosa de Oliveira

Escola:EM Vereadora Astréa Barral Nébias

 

  • Pela ética e pela cidadania

‘’ Precisamos ter responsabilidade para praticar a cidadania.Vamos contribuir com o meio ambiente e ter  responsabilidade para  ajudar o  planeta.’’

Nomes: Mayara Conceição da Silva e Joseane da Silva Santos.

Escola:E.M Vereadora Astréa Barral Nébias

 

  • As diferenças fazem a diferença

‘’ Apesar das diferenças todos nós no fundo somos iguais. As diferenças fazem  bem para o mundo e através delas as pessoas revolucionam o mundo para seu próprio benefício. ‘’

Nomes: Lucas de Araújo Silva e Matheus Silva dos Anjos

Escola: EM Vereadora Astréa Barral Nébias

 

  • Brasil Pátria Amada

‘’ Precisamos ter confiança para solucionar os problemas em nossas vidas. Amor ao nosso país, respeito a ordem e ao progresso.’’

Nomes: Mayra Cristina Diogo da Rocha e Thayná Marcondes da Cruz

Escola: EM Vereadora Astréa Barral Nébias

 

  • Deficientes físicos

‘’A gente fez atividades muito legais sobre os deficientes. ‘’

Nomes: Marcos Agostinho dos Santos e Caroline Gomes da Costa

Escola: EM Rural Professor Cid Torquato

 

  • O preconceito

‘’ As pessoas não devem  ter preconceito com  os outros.’’

Nomes:  Gerson Agostinho da Silva e Lucas Rodigues de Moraes

Escola: EM Rural Professor Cid Torquato

 

  •   Brasil o nosso lar .O Brasil é um ótimo país para se morar!  

” Nesse projeto aprendemos mais sobre o Brasil : Como ele é dirigido, como são feitas as leis e  respeitar  o Brasil e seus habitantes.Acredito que todos tenham aprendido como nós aprendemos ”

 ” Viva o projeto um por todos e todos por um : pela ética e cidadadania! ”

Nomes: Paulo Vitor Guimarães e Douglas Andrade de Oliveira

Escola: EM Vereadora Astréa Barral Nébias

 

  •  Deficiência

‘’ Aprendi que deficiência é coisa séria, e que precisamos respeitar a todos, pois somos todos iguais. O preconceito é muito serio.’

Nomes: Paloma Rosa de Olivera e Evelyn Cristina da Silva

Escola: EM Vereadora Astréa Barral Nébias

 

  •  Autoestima

‘’ Respeitar os deficientes. Respeitar os mais velhos.’’

Nomes: Mayara Kathelyn Benedito Jardim e Bianca Monteiro Machado

Escola: EM Vereadora Astréa Barral Nébias

 

  • O preconceito

” O preconceito é uma coisa que devemos respeitar nos outros que sofrem o preconceito…”

Nomes: Hillary Traicy Leal dos Santos e Pamela Lorrane Franco Gonçalves

Escola: E.M.Vereadora Astréa Barral Nébias

 

  •  Cidadania

‘’Não estacione nas vagas destinadas aos cadeirantes, isto também é ser cidadão.’’

Nomes: Cleisson Tenorio de Araujo e Matheus  Barbosa  Cardoso

Escola: E.M.Vereadora Astréa Barral Nébias

 

  • Cidadania  e  Respeito

‘’ Aprendi que respeito é bom e eu gosto. Por isso, somos atenciosos e amáveis com todos os   nossos  amigos. Eles também nos respeitam e nos valorizam. ‘’

Nomes: Beatriz Monteiro Machado e Juan Pedro Silva

Escola: E.M.Vereadora Astréa Barral Nébias

 

  • O preconceito

‘’ Tem  gente que  é  muito  preconceituosa  pelas deficiências e muito exigente  pelo  gosto  dos  outros  mas a cidadania, eu adoro a cidadania  mas  tem gente que  respeita as deficiências.’’

Nomes: Mayara Santos de Paulo e Beatriz Michaela Diniz de Oliveira

Escola: E.M.Vereadora Astréa Barral Nébias

 

  •  A vida dos cadeirantes

‘’ Em todos os mercados tem rampa de acesso’’

Nomes: Larissa dos Santos Agostinho e Larissa Gabriela Nogueira Fernandes

Escola: EM Rural Professor Cid Torquato

 

  • As deficiências

‘’ A gente gostou do respeito que devemos ter com os deficientes e também viu que não é fácil ser deficiente.’’

Nomes: Lays Lima Fernandes e Gustavo dos Santos Souza

 

  •  A deficiência

‘’A deficiência é uma coisa que todos zoam, mas é muito feia e isso não é legal.’’

Nomes: Steffany Luiza de Carvalho Lima e Angelica  Lais  Gomes  do  Santos

Escola: EM Rural Professor Cid Torquato

 

  • Respeito as diferenças 

‘’ Eu vou respeitar mais os meus amigos da escola e os outros também e vou valorizar mais eles.”                                         DISCRIMINAÇÃO

INTOLERÂNCIA

 OFENÇAS

SENTIMENTO

PRECONCEITO

DESRESPEITO

INJUSTIÇA

RAÇA

ATENÇÃO

ETNIAS

 Nomes: Daniele Costa Neves e Gabriela Natália Santos Castro

 Escola: E.M.Vereadora Astréa Barral Nébias

 

  •  Eles são diferentes de nós

‘’Ser deficiente é ruim, pense nas consequências de você não poder andar, nem ter visões e nem poder falar ou ficar sem braços. Então, pense nessas consequências, pois eles são diferentes de nós. ’’

Nomes: Bianca Ribeiro de Luna e Júlia Martins

Escola: E.M.Vereadora Astréa Barral Nébias

 

  •  Respeito

‘’ Aprendemos que devemos ter respeito pelas pessoas. ’’

Nomes: João Gomes e Lucas

Escola: EM Rural Professor Cid Torquato

 

  • Um por todos e todos por um: Pela ética e pela cidadania

‘’ Eu gostei da parte que eu aprendi que devemos respeitar os deficientes visuais. Fizemos uma atividade que vendamos os olhos e sentimos o quanto é difícil não ver o mundo.”

Nomes:  Jéssica Rodrigues Dantas e Emily Rodrigues Dantas

Escola: EM Rural Professor Cid Torquato

 

  •  Meu amigo diferente

” Nós fizemos uma atividade, tampando nossos olhos como se fossemos cegos. Vimos as dificuldades e como é difícil ser cego.”

Nomes:  Daniel Correia da Silva e Kevin Garcia

Escola: EM Rural Professor Cid Torquato

 

  • Temos que ajudar

‘’ Gostei muito desse projeto mas o que mais gostei desse projeto foi o que precisamos a ajudar as pessoas.’’

Nome: Raquel Mendonça Aniceto de Souza

Escola:  E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  • Temos que ajudar

‘’ Eu gostei muito do projeto um por todos e todos por um porque a gente tem que ajudar os idosos, os deficientes e também eu gostei porque as atividades são legais principalmente os do amigo secreto. ‘’

Nome: Camilly Arnold Ramos

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  • Um por todos e todos por um

‘’ Gostei muito do projeto um  por todos, todos por um porque  eu aprendi a respeitar aos pais, pessoas.’’

Nome: Heber Santos Silva

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  • Um por todos e todos por um

”’ Gostei porque estimula a cabeça de toda criança e muito mais, e tudo que tem la é legal!

Nome: Ana Elisa de Oliveira Vieira

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  • Respeito   

‘’ Eu aprendi a respeitar todos. ’’

Nome: Marcia Cristina Aparecida dos Santos Sida

Escola:  E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  • Eu e as diferenças

” Vamos Respeitar as pessoas.”

Nome: Monaliza dos Santos de Oliveira

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  •   Um Por Todos e Todos Por Um

‘’Eu aprendi que devemos respeitar os mais velhos e pessoas deficientes. ’’

Nome: Kauê dos Santos Silva

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  •   Um Por Todos e Todos Por Um

” Eu sei que todos devemos respeitar a si mesmo e respeitar um ao outro.”

Nome: Kauan  Azevedo Souza Santana

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  •  As pessoas deficientes

‘’Aprendemos a respeitar as pessoas com necessidades especiais. Precisamos melhorar o respeito do mundo, principalmente o do Rio de Janeiro.’’

Nomes: Bruno Rodrigo Gaspas e Ismael da Silva César

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  • Um por todos e todos por um: Pela ética e cidadania

” Eu aprendi a respeitar ainda mais os meus parentes, amigos, idosos e pessoas que eu sequer conhecia. Pois, ter respeito e amor ao próximo é muito importante. ”

Nome: Larissa do Nascimento de Faria

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  • Um por todos e todos por um: Pela ética e cidadania

‘’ Eu aprendi que não devemos maltratar os outros apesar de suas diferenças. ’’

Nome: Beatriz Augusta Antunes de Jesus

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  • Um por todos e todos por um: Pela ética e cidadania

‘’ Eu aprendi a respeitar o próximo.’’

Nome: Gabriela Palácios de Lucio

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  •  Um por todos todos por um

” Respeito. Eu aprendi a respeitar os deficientes com muito carinho.”

Nomes: Matheus Assis Ferreira e Juan Nunes Torralbo

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  •    Convivência

‘’ Nós aprendemos a respeitar nossos familiares e amigos.  O nosso respeito com as pessoas ajuda no crescimento e desenvolvimento de cada um. A convivência é uma coisa que temos que ter sempre isso não tem hora , assim convimos com outras pessoas.’’

Nomes: Lucas Gaspar  e Victor Luiz

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  • Democracia começa cedo na escola

‘’O projeto valores nos ensinou muitas coisas como respeitar o próximo e ouvir seus direitos e respeita-los. Também aprendemos sobre amar os pais, os idosos e nossos amigos. ‘’

Nomes: Diogo Furuyama Guimarães e Matheus Rocha de Brito

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  •  Aprender a respeitar os deficientes

‘’Eu gostei muito disso aprendi que temos que respeitar os deficientes físicos.’’

Nome: Gustavo Yuzo Sekiya

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  • A conviver com a diferenças

” Eu aprendi a conviver com a diferenças com os deficientes físicos e a respeitar o próximo. ”

Nome: Gustavo Maekawa  Harano

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  •  Um por todos e todos por um

” Eu aprendi que todos devemos respeitar os pais , os idosos e principalmente os deficientes. ‘’

Nomes: Karen Mogami e Beatriz Maria Silva Machado

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  •  Gostei bastante

‘’ O que eu mais gostei foi ver como é a vida de um deficiente visual.Foi também engraçado e divertido,eu gostei bastante. ‘’

Nome: Vitória Marcondes dos Santos Davi

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  •  Parabéns pelo projeto

‘’ Eu gostei muito! E são bem diferentes as atividades! Porque fala sobre diferenças e muito mais. Parabéns Maurício! . ‘’

Nome: Gabriella de Souza Santos

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  • O que gostamos no projeto

‘’Eu gostei da parte em que nós tivemos que nos privar de alguns sentidos. ’’

Nome: Vitor Aguiar Caldeireiro

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  • O que gostamos no projeto

‘’Eu gostei da parte em que nós tivemos que  nos por no lugar dos deficientes.’’

 Nome: Luiz Felipe Lima de Oliveira

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  • Aprendi a respeitar

‘’ Nós aprendemos a respeitar mais as pessoas, deficientes físicas e os mais velhos.Mas o mais importante é que nos respeitamos a si mesmo! E nós gostamos da atividade da venda.’’

Nomes: Ingrid Sayuri Nagayma Rodrigues e Lisandra Ayka Ogawa Hara

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  • A diferença

‘’Nós aprendemos muito com esse projeto e isso é muito bom pra gente, saber das coisas.Esse projeto nos ensinou muitas coisas legais. Nós gostamos muito desse projeto.  Aprendemos a diferença. Obrigado. ’’

 Nomes: Agatha Fernanda e Emily Mogami

 Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  •  Um por todos e todos por um

‘’ Eu e minha amiga que eu conheci agora gostamos do amigo secreto e de todo o projeto.’’

Nomes: Lahys Del Bianco Santos e Giovana Stéphany da Silva

 Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  •  Ser diferente é muito legal

‘’A gente aprendeu a respeitar os deficientes e quem não é, e também  respeitar a nossa família. E os professores e os mais velhos. ’’

Nomes: Kevin Fernandes Amancio de Lima e Vitor Hideki Yoshitake

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  • Respeito aos deficientes   

‘’ Nós achamos bem legal na parte que nós dançamos com os olhos vendados, aquele que nós tivemos que achar a nossa blusa com os olhos vendados, aquele que tivemos que adivinhar quem era a pessoa de olhos vendados, aquele que nós estávamos de olhos vendados que agente tinha que achar o lencinho, e também que eu aprendi a ter muito respeito com os deficientes.’’

Nomes: Beatriz Vitória Bonifácio e Luiza Fernanda Rafael

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

 

  •  Brincando e aprendendo

‘’ Nós três gostamos de todas as brincadeiras, mas a preferida da sala foi a cabra-cega. E oque a gente mais gostou foi que a gente aprendeu muitas coisas.’’

Nomes: Stephanye  Carvalho de Amorim, Laura Mascarenhas dos Santos e Thauani Martins Nagatani

Escola: E.M Professora Cynira Oliveira  de Castro

16/11/2011 / projetoculturadepaz

“Encibrac-inho”

Abertura do EncibraquinhoNa sexta-feira, dia 21 de outubro, das 8h às 10h30, cerca de 200 alunos de cinco escolas municipais de Mogi das Cruzes se reuniram na Universidade Braz Cubas (UBC) para expor suas percepções sobre os conceitos de Ética e Cidadania, os quais foram trabalhados durante os quatro meses do projeto “Um por todos e todos por um”.

Por meio de atividades artísticas, científicas e lúdicas, os estudantes puderam expressar suas ideias sobre temas como democracia, diversidade cultural, corrupção, inclusão social e autoestima.

O debate aconteceu durante o I Encibrac-inho, uma continuação do Encontro Científico da UBC. A programação contou com mesa-redonda, painéis, exposições e várias outras atividades que objetivam dar voz às crianças. “É a primeira vez que os alunos vão falar da transformação, de tudo que mudou na percepção deles quanto à cidadania, respeito, corrupção, entre outros temas. Desta forma, estamos preparando o cidadão do futuro”, enfatiza o coordenador acadêmico geral da UBC, professor Marcelo Chanes.

“Um por todos e todos por um” – É uma iniciativa da UBC, Instituto Mauricio de Sousa, da Controladoria Geral da União (CGU) e da Secretaria Municipal de Educação com o objetivo de promover ações educativas que auxiliem na formação ética e moral, formando alunos para serem cidadãos conscientes, conhecedores de seus deveres e que lutem por seus direitos. Além disso, estimula a interação entre escola e comunidade.

A pesquisa científica observacional, implantação e tabulação do resultado do “Um por todos e todos por um” ficaram sob a responsabilidade dos alunos dos cursos de Pedagogia, Psicologia e do Mestrado da UBC.

“É um projeto importante porque é um convênio com a CGU e a UBC é uma das poucas universidades que tem uma parceria como esta. A outra é por que o Instituto Mauricio de Sousa é uma referência em materiais didáticos. Além disso, reforça a nossa parceria com a Prefeitura Municipal de Mogi das Cruzes”, frisa a professora Elisabete Jacques Urizzi Garcia, responsável pelo Espaço Mauricio de Sousa, que fica localizado dentro da universidade.

Participam desta iniciativa as escolas municipais: Aparecida Ferreira Cursino, Astréa Barral Nébias, Etelvina C. Salustiano, Cynira Oliveira de Castro e a escola rural Cid Torquato.

19/10/2011 / projetoculturadepaz

“UM POR TODOS E TODOS POR UM: PELA ÉTICA E PELA CIDADANIA!”

PARACERIA ENTRE O INSTITUTO MAURÍCIO DE SOUSA, CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO, UNIVERSIDADE BRAZ CUBAS E SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DE MOGI

As descobertas, no universo pedagógico, precisam ser ritualizadas. Só se tornam palpáveis mediante o registro verbal e partilhado. Essa prerrogativa assegura que a promoção de ações nos domínios da escola e a coleta de certezas de que foram bem sucedidas são quase inócuas se forem legadas ao anonimato. É preciso, sob pena de perder a validade histórica, mobilizar os veículos e as vozes de que dispomos para socializar as experiências que, de alguma forma, tornam a sala de aula mais eficaz e divertida.

O Instituto Maurício de Sousa, desde a sua idealização pelo famoso criador da Turma da Mônica, teve o compromisso de contribuir para o protagonismo da Educação na condução dos fenômenos sociais, a fim de que os perfis ideológicos de cada personagem repercutissem além das páginas dos gibis, sob a tutela dos bons exemplos, das reflexões sobre os valores que precisam sempre ser revisitados, das responsabilidades de cada um com o que for melhor para todos.

A força comunicativa desses personagens é inconteste. Suas presenças nas salas de aula também. Essas duas convicções aproximaram o Instituto Maurício de Sousa e a Universidade Braz Cubas, que em 2008 firmaram uma parceria para a aplicação projetos pedagógicos, cumprindo também uma dupla função: apresentar aos futuros docentes seu ambiente real de trabalho, dando-lhes ferramentas para que inovem em suas propostas metodológicas e formatar as conclusões advindas de cada projeto com o rigor científico que as legitime, ou ainda nas palavras de Paulo Freire (1986), o rigor como desejo de saber, a busca de respostas, um método crítico de aprender, uma forma de comunicação que convida o outro a participar e dialogar.

Essa confluência de objetivos agregou novos parceiros. A Controladoria Geral da União – CGU – preocupada com as configurações alarmantes de posturas sociais equivocadas e corruptas que, com certa constância, invadem os noticiários nacionais, elegeu a Turma da Mônica como porta-voz do projeto “UM POR TODOS E TODOS POR UM: PELA ÉTICA E PELA CIDADANIA!”, que visa ao desenvolvimento de uma cultura ética entre crianças e jovens, por meio de atividades artísticas, científicas e lúdicas, bem como da interação entre escola e comunidade. O material didático que dá suporte a este projeto foi elaborado pelo Instituto Maurício de Sousa, com vistas a criar condições para o debate de ideias, para as dinâmicas e decorrentes reflexões sobre autoestima, inclusão social, diversidade cultural, além das abordagens referentes aos conceitos de cidadania, democracia, interesse público e outros assuntos que estejam em sintonia com os objetivos estabelecidos.

A Universidade Braz Cubas, uma vez integrada ao projeto, procurou a Secretaria Municipal de Educação, que aceitou o convite para fazer parte desta experiência indicando cinco escolas da rede (Escolas municipais Aparecida Ferreira Cursino, AstréaBarral Nébias, Etelvina C. Salustiano, Cynira Oliveira de Castro e a rural Cid Torquato), as quais receberam o material didático composto por revistinhas em quadrinhos, jogos, livro de atividades, enfeites de porta, revista de passatempo e crachá, todos com a Turma da Mônica ciceroneando as abordagens temáticas. Os alunos dessas escolas receberam o material em meados de junho, quando aconteceu no auditório do CEMFORPE a abertura oficial do projeto, com a presença de representantes da Controladoria Geral da União, do Instituto Maurício de Sousa, da Universidade Braz Cubas e da Secretaria Municipal de Educação, além da Mônica e do Cebolinha.

Para tornar todas essas ações um objeto de estudo academicamente sistematizado, professores do Núcleo de Pesquisa da UBC desenvolveram um projeto de pesquisa, com alunos dos cursos de Pedagogia e Jornalismo, denominado “Cultura de Paz: Educação e Cidadania”, eixos centrais para o trabalho em Educação, cidadania em seu sentido pleno, como aquela que respeita os direitos civis e políticos, mas também como um processo vivenciado no cotidiano.

A construção deste projeto de pesquisa, pressupõe uma ação interdisicplinar, que articula ensino e pesquisa, nos projetos de iniciação científica dos cursos de graduação da Universidade Braz Cubas.

Esperamos que, ao final, as mensagens veiculadas durante todos os módulos do projeto tenham sido assimiladas pelas crianças, como mais um componente do trabalho pedagógico desenvolvido com tanta proficiência pelas escolas municipais.

Essa experiência servirá de referência para que a CGU e o Instituto Maurício de Sousa possam avaliar os resultados de seu trabalho e delinear as próximas etapas. Esperamos que a figura pragmática da Mônica, a criatividade fagueira do Cebolinha, a genuína disposição do Cascão, a solidariedade terna da Magali e a carismática presença de tantas outras personagens possam ajudar as crianças a edificarem seus modelos de virtudes, consolidarem seus valores para crescerem dispostas a colaborar para um mundo melhor. A aprendizagem da compreensão humana, a base de uma cultura de paz e cidadania ancorada no respeito à diversidade e à promoção dos direitos humanos universais.

Essa é a intenção da Controladoria Geral da União, é o papel do Instituto Maurício de Sousa, é a missão da Universidade Braz Cubas e da Secretaria da Educação. É, sobretudo, a resignação que dentro das salas de aula se desdobra em todas as metáforas de esperança. E, na esteira semântica de uma dessas metáforas, há de fazer com que sejamos de fato um por todos e todos por um, para além dos muros da escola!

Por Betinha – Instituto Mauricio de Sousa e Professora Roberta Galasso, UBC. 

 

18/10/2011 / projetoculturadepaz

Universidade Braz Cubas e Instituto Maurício de Sousa

O vínculo entre o Instituto Maurício de Sousa e a Universidade Braz Cubas começou a ser formatado quando a UBC outorgou o título de “Professor Honoris Causa” ao Maurício. Desde então, em várias conversas com a diretora do Instituto, Betina Rugna, percebemos que os cursos de licenciatura da UBC poderiam se beneficiar dos projetos pedagógicos, encampados pela Turma da Mônica e, em contrapartida, teríamos condições de devolver aos seus criadores o resultado de pesquisas que, empreendidas por professores e acadêmicos da UBC, teriam a finalidade de diagnosticar a validade metodológica, a pertinência das ações e os ajustes necessários a cada projeto.

A parceria, inédita e exclusiva, foi firmada em fevereiro de 2008 e resultou na criação do Espaço Instituto Maurício de Sousa/UBC, inaugurado pelo próprio Maurício. Este núcleo tem a missão de mediar a aplicação de projetos sociais nas áreas de educação, saúde, meio ambiente e cultura, valendo-se da filosofia pautada em valores e sob a perspectiva da ludicidade inerente às personagens da Turma da Mônica, como elementos motivadores e articuladores das ações pedagógicas.

A realização de cada projeto pressupõe registros, pesquisas, coleta de dados e afins, com o propósito de conferir caráter acadêmico-científico às propostas, legitimadas sob a forma de artigos, trabalhos de conclusão de curso, portfólios entre outros.

Projetos já realizados:

1 – “Entre para nossa turma e cuide bem da sua escola”

Objetivo: possibilitar experiências docentes aos acadêmicos do curso de Pedagogia, com a elaboração de planos de aulas temáticas e confecção de seus materiais didáticos, sob a supervisão dos professores e responsáveis pelo EIMS/UBC.

2 – “Bosque do Chico Bento e Horta da Rosinha”

Objetivo: estabelecer vínculos afetivos entre as crianças e a natureza; promover a integração entre professores e alunos dos cursos de Biologia e de Pedagogia; plantar árvores ornamentais e hortaliças em áreas disponíveis nas escolas rurais do município.

3 – “Festival de Teatro Infantil”

Objetivo: oportunizar aos acadêmicos variadas abordagens de textos clássicos da Literatura Infantil, recontados em livros de Mauricio de Sousa, utilizando a linguagem cênica como recurso pedagógico.

4 – “Mestres da Brincadeira”

Objetivo: Criar condições para que acadêmicos do curso de Pedagogia iniciem sua prática docente, transformando o referencial teórico da disciplina Brinquedos e Brincadeiras em situações reais de exercício profissional, com alunos da Educação Infantil e do Ensino Fundamental.

Por Betinha – Responsável pelo Instituto Maurício de Sousa na UBC

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.